Como se reinventar após a aposentadoria?

A executiva Helena Schargel, de 79 anos, tem a resposta. Ela não suportou a ideia de ‘ficar parada’ e criou uma linha de lingeries para maiores de 60, cuja garota propaganda é ela mesma

Trabalho faz parte da vida de Helena Schargel desde os 14 anos, quando a família se mudou de Marília, no interior paulista, para o Bom Retiro, bairro da região central de São Paulo conhecido por abrigar inúmeras lojas de roupas.

Começou ajudando os pais, que comerciavam tecidos, e logo depois seguiu para uma longa carreira na Berlan, empresa do ramo têxtil. Cumpriu o cargo de diretora de estilo até 2016, quando se aposentou e passou a ocupar o tempo com ginástica e terapia. “Nada me dava tesão, e sou movida a tesão”, comentou em entrevista à Folha de S.Paulo.

Animada com a ideia de “tirar as mulheres da invisibilidade”, aos 79 anos, Helena criou uma linha de lingeries para maiores de 60, cuja garota propaganda é ela mesma.

“Cada peça tem que dizer ‘você pode tudo, tem mais uma vida a ser vivida, e ela pode ser a melhor de todas’”, relatou. Muitas mulheres passaram a procurá-la para contar como se inspiraram para “criar coragem e lutar pelo que querem”.

“Se apareço assim meio chocando, de calcinha e sutiã, é para mostrar que aos 79 anos, ou aos 60, aos 70, aos 80, a gente pode inventar algo novo e realizá-lo”.


Helena Schargel, 79, veste uma das peças que criou. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

Dicas para se lançar num novo projeto

Transições de carreira são desafiadoras, ainda mais quando ela ocorre depois de uma longa trajetória profissional. 

Quando os profissionais estão para se aposentar ou já se aposentaram, muitas vezes, ainda há vontade para continuar atuando, mas em outras esferas, não mais com o compromisso e a exigência do mundo do trabalho tradicional.

Além disso, idosos que se lançam em negócios não são propriamente novidade. Dados do IBGE e de outras entidades mostram que os mais velhos são 10% dos donos de empresas e a fatia só cresceu na última década.

Diferentemente do que acontecia há pouco mais de uma década, em que a população com mais de 50 anos chegava a essa idade com a expectativa de se aposentar e não ter mais ocupação profissional, hoje esse público é mais ativo e demonstra a vontade de continuar no mercado de trabalho.

Uma pesquisa realizada pela MaturiJobs e pela Noz Pesquisa e Inteligência, mostrou que 38% da população com mais de 50 anos está sem ocupação no momento. Desse montante, a maioria projeta para o futuro arrumar um emprego, trabalhar como autônomo, freelancer ou consultor ou ainda empreender.

Helena diz que o sonho é viável também para quem não tem dinheiro, experiência e conexões —vantagens com que contava quando se lançou no novo projeto. Ela dá algumas dicas:

.

  1. Pergunte-se o que você gostaria mesmo de fazer. Se a gente se envolve com algo que dá prazer, a chance de sucesso é maior;
  2. Se não souber o que quer fazer, experimente. Seu inglês é ótimo e você gosta de cozinhar? Invente um chá com aulas de idiomas;
  3. Não tenha medo de arriscar; se der errado, a gente encontra outro caminho.

Renata Perre

About Renata Perre

Formada em Jornalismo e pós-graduada em Comunicação Organizacional. Possui mais de dez anos de experiência em reportagens, assessoria de imprensa, produção de conteúdo e marketing digital. Está sempre em busca de explicações e contextualizações sobre (quase) tudo que permeia sua mente. Quando as encontra, faz jus ao título de Comunicóloga e compartilha com as pessoas o conhecimento recém-adquirido, contando suas experiências e disseminando boas ideias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>